"Após inflamar a supremacia branca e o racismo durante toda a sua presidência, tem coragem de fingir superioridade moral antes de ameaçar com violência?", tweetou Swift, que tem 86 milhões de seguidores na rede social.

A cantora citou um tweet polémico de Trump, em que o presidente diz que "quando os saques começam, o tiroteio começa", antes de afirmar: "Votaremos pela sua saída em novembro, @realdonaldtrump."

Trump gerou polémica com um tweet publicado na noite anterior sobre os protestos violentos contra a polícia em Minneapolis, em que chamou aos manifestantes "bandidos" e ameaçou com uma intervenção militar.

Centenas de soldados foram mobilizados nas ruas de Minneapolis e St. Paul esta sexta-feira, após a terceira noite de protestos violentos contra a violência policial envolvendo a população negra.

Nos últimos anos, Taylor Swift abriu as suas opiniões políticas, após lutar para controlar a sua própria voz enquanto artista que conheceu a fama muito jovem. Ela apoiou candidatos democratas no Tennessee em 2018 e já tinha criticado o presidente Trump.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.