Após três semanas de exibição em alguns cinemas nos EUA e, menos tempo, noutros países, o novo filme de Martin Scorsese já está disponível na Netflix.

Apesar de a maioria das pessoas não ter a oportunidade de ver "O Irlandês" no grande ecrã, o realizador deixou um apelo para que não o façam nos seus smarphones. E isto aplica-se a todos os seus filmes e não só.

"Se quiser assistir a um dos meus filmes, ou a maioria dos filmes, deixaria a sugestão de, por favor, não ver num telefone. Um iPad, um grande iPad, talvez", disse ao crítico Peter Travers no programa Popcorn With Peter Travers.

Um dos temas de discussão nas redes sociais é precisamente a melhor forma de ver "O Irlandês" e alguns utilizadores partilharam imagens irónicas a fazê-lo "da forma que queria Scorsese".

Apesar das três horas e meia de duração, Scorsese também garante que "O Irlandês" consegue agarrar a atenção dos espectadores por ter "uma estrutura narrativa interessante" que permite cobrir todas as formas de visionamento. Preferencialmente numa sala de cinema, acrescenta, mas também em casa se for uma sessão à noite ou ao fim da tarde com a certeza de resistir a distrações como atender o telefone.

A propósito de um visionamento doméstico, tornou-se viral o "guia" criado por um jornalista sueco para ver o filme em "quatro episódios" para todos os que o acham muito longo.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.